Política Nacional

Montes Alentejanos e Covid-19

Há alguns dias fizeram um comentário inacreditável em televisão nacional, demonstrando a falta de conhecimento e a ignorância daqueles que cresceram nas grandes metrópoles do país.

Não quero com isto dizer que todos sejam assim, não quero com isto dizer que todos tenham tão pouca capacidade de observação ou um mínimo de cultura geral, longe disso.

Governo apoia economia e famílias com pacote de 9200M/€

O Governo, através dos ministros das Finanças, Mário Centeno, e Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital Centeno, Pedro Siza Vieira, apresentaram um pacote de novas medidas de apoio à Economia via streaming.

A grande preocupação é fazer resistir a Economia à crise provocada pelos efeitos da pandemia da Covid-19 e evitar que exista uma rutura nas vendas das empresas. Há ainda uma especial atenção para as empresas exportadoras e da área do turismo, hotelaria e restauração, os alicerces da recente recuperação económica.

Covid-19: aeroporto de Beja é estacionamento do aeroporto de Lisboa

Durante a crise provocada pela pandemia da Covid-19 – e dada a redução e proibição drástica no número de vôos – a  TAP e a Venezuela Estelar estão a utilizar o Aeroporto de Beja como estacionamento para os seus aviões.

De momento estão estacionadas quatro aeronaves, três delas portuguesas e sendo uma Airbus A330neo, de nome D. Afonso Henriques, e que é a 100.ª aeronave da companhia aérea portuguesa.

Alentejo: Pousadas da Juventude ao serviço de profissionais de saúde e forças de segurança

Foram disponibilizadas, em todo o país, mais de 3500 camas para acolher profissionais de saúde e forças de segurança numa iniciativa do Ministério da Educação, através do Instituto Português do Desporto e Juventude e da Movijovem, que gerem as Pousadas da Juventude e os Centros de Medicina Desportiva de Lisboa e Porto.

No total são 3500 camas divididas pelas 41 pousadas de juventude libertadas para o efeito, numa medida que, ao nível do Alentejo abrange as pousadas de Almograve, Beja e Évora.

Covid-19: população alertada por SMS

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em colaboração com a Direção Geral da Saúde (DGS), enviaram hoje mensagens sms para o telemóvel de milhões de portugueses sobre o Covid-19.

A intenção é a de informar os cidadãos acerca da situação de risco relacionada com a pandemia da COVID-19 e resulta da Situação de Alerta declarada pelo Ministro da Administração Interna e pela Ministra da Saúde na semana passada.

 

 Alentejo fecha as portas a Espanha

Desde ontem, segunda, que o Alentejo tem fechadas várias fronteiras para Espanha, estando só abertas as fronteiras de Marvão (Portalegre) - Valência de Alcântara; Caia (Elvas) – Badajoz e Vila Verde de Ficalho (Beja) - Rosal de la Frontera.

Mesmo nestas fronteiras, a circulação está condicionada a circunstâncias específicas como transporte de mercadorias, trabalhadores transfronteiriços, elementos do corpo diplomático e da área da saúde.

Escolas alentejanas abertas para apoio a carenciados e filhos dos trabalhadores de serviços especiais

 

No âmbito das medidas extraordinárias e de carácter urgente de resposta à situação epidemiológica do novo coronavírus, elencadas no Decreto-Lei n.º 10-A/2020, está publicada no sítio da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares a lista das escolas que servirão refeições aos alunos no escalão A que as solicitem; e das escolas disponíveis para receber os educandos dos trabalhadores de serviços especiais.

A tragédia que se avizinha

No momento em que vos escrevo, estão diagnosticadas com Covid-19 em Portugal 331 pessoas e a comunicação social anunciou há minutos a primeira vítima mortal.

No acompanhamento da pandemia do Covid-19 tenho optado por ouvir mais epidemiologistas e matemáticos do que políticos. Não por desconfiança sistemática nos últimos, mas antes por acreditar que em cada situação há boa e má informação, e que, em matéria de progressão de epidemias, os especialistas são os primeiros.

Portugal em “estado de alerta” e com apoios às empresas

O Conselho de Ministros decretou “estado de alerta” com apoios às empresas.

Esta declaração provoca muitas alterações ao habitual funcionamento social e empresarial e vem acompanhado de algumas medidas que visam minimizar os danos causados pela pandemia do Covid-19.

O Ministro de Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira, apresentou as medidas correspondentes às empresas e referiu que “as medidas de alívio à tesouraria das empresas que são neste momento estabelecidas somam mais de 2.300 milhões de euros”.

Finanças adiam prazos por causa do coronavírus

O Governo já decidiu alterar os prazos dos assuntos relacionados com as Finanças devido à situação provocada pela pandemia do Covid-19.

A tutela refere que "Para mitigar o impacto económico da doença e diminuir os efeitos que eventuais medidas de contingência adotadas pelas empresas e serviços públicos”.

Deste modo, o Governo decidiu adiar os prazos das Finanças para o pagamento especial por conta até 30 de junho e da entrega declaração de IRC até 31 de julho.

Páginas