Está aqui

Opinião

After Life – um drama cómico

O mais recente projeto de Ricky Gervais ganhava destaque num passado recente e, essencialmente atraído pelo fino recorte do humorista britânico e pela ironia que caracterizava as suas obras até então, era com bons olhos que o perspetivava.

Paixão virtual - um desafio matemático

Que o mundo da internet e das redes sociais permite que muitos façam transparecer uma vida alternativa, que pouco tem em comum com a sua vida real, já não é novidade para ninguém. Mas, por incrível que pareça, este fenómeno tem reflexos semelhantes na tão odiada Matemática, permitindo que muitos daqueles que no mundo real abominam a Matemática, quando escudados pelo ecrã do computador ou smartphone, se transformem em verdadeiros apaixonados pela Matemática.

A tão esperada saída da toca

Depois de meses de forçado retiro, são muitas as emoções escondidas. Aproxima-se o excitante final do enclausuramento.

O regresso a alguma aparente normalidade traz consigo o receio de que todo este esforço tenha sido em vão. A realidade agora é outra, muito diferente da que conhecíamos.

Saímos para a rua, mas as máscaras que nos protegem deixam-nos irreconhecíveis. Acenamos, mas não sabemos quem passa por nós. Os nossos sorrisos e expressões estão ocultos e assim vão continuar durante algum tempo, para nossa proteção.

Crónicas de um médico italiano: Porosidade perigosa na fronteira

Há dias em que este tipo muito parecido comigo, que vive no meu espelho quando estou em casa, realmente me deixa enervado. Ele sabe perfeitamente que argumentos destacar no que eu não gosto de ver e faz-me dizer – talvez apenas por despeito - o que eu detesto ouvir. Ele também me faz perguntas e lança enigmas que eu deveria saber dar resposta, mas que não me ocorrem no momento. Outras vezes, no entanto, faz-me descobrir ou relembrar coisas engraçadas.

Uma súplica de Liberdade

É como se estivéssemos todos a viver dentro do mesmo sonho, aliás, presos nele. Sempre que vemos a saída, voltamos ao início. É quase como um jogo que dura há meses, onde para ganhar, se requer o esforço de todas as partes, onde nem todas estão a colaborar. É o jogo mais difícil que passará por todos nós; mexe com emoções, principalmente com o medo. Há dias e dias que adormecemos junto a esse monstro, pedindo que ele desapareça o mais depressa possível. Mas ele insiste em regressar sempre.

Parece um universo paralelo. Repetimos sempre o dia anterior. Como um flashback.

O homem do metro

Afinal, o que é e quem é o homem do metro? O homem é um substantivo masculino, alguém do sexo masculino, que é qualificado como alguém que anda e que é associado ao metro. O homem do metro não era ninguém relevante. Nunca o foi na sua vida para qualquer história. Tornar-se-ia na nossa história e por isso... conhecido de vós num pequeno pormenor na crónica de janeiro, o homem do metro cruza-se com uma mulher... e cruzam-se muito mais do que socialmente.

A mulher, não sabíamos ainda quem era. Só a conheceríamos no mês seguinte.

Maldita propaganda - não há passageiros na linha Évora-Caia

Não vai haver transporte de passageiros na Linha de Comboios Évora – Caia

A maldita propaganda!

Apesar de muitas declarações de vários governantes terem garantido que a Linha de Comboio Évora – Caia, para além do transporte de mercadorias, seria utilizada para transporte de passageiros, tivemos a confirmação nos últimos dias que tal não acontecerá.

Fomos assaltados: como voltar a viver na nossa casa?

Notoriamente o Big Brother voltou-se também para o comum cidadão: é notório como se vê a utilização da tecnologia para monitorizar ao máximo aquilo que se passa no nosso querido país, na nossa casa.

Obras de casa própria que ficaram a meio, pequenos negócios que eram rentáveis o suficiente para quem os abriu, muitos que deixaram o patrão e montaram o seu próprio emprego com base em fortes fluxos de turistas entre outros: Fomos todos assaltados.

Autoritarismo bom

Vivemos tempos bizarros, e infelizmente temo-los aceite com estranha e preocupante indiferença. Não sei se os costumes são brandos, se o povo é sereno, ou se somos todos uma cambada de carneiros. Tenho dúvidas.

Fake News em tempo de pandemia

Já todos ouvimos a expressão “fake news”, mas o que têm os dias atípicos que vivemos de tão especial, que nos fizeram abrir fogo sobre o fenómeno da desinformação?

Chamam-lhe a era da pós-verdade. A expressão ficou popular na sequência de um evento político em 2016: a vitória de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos da América. Nesse mesmo ano, “pós-verdade” foi considerada a palavra internacional do ano pelo dicionário de Oxford.

Páginas