Está aqui

Exposições

José Régio, o brilhante professor de Portalegre, morreu há 50 anos

Será um dos versos mais conhecidos da poesia em língua portuguesa “Não sei para onde vou - Sei que não vou por aí!” e pertence a José Régio, o escritor que nasceu em Vila do Conde e que passou boa parte da sua vida em Portalegre, a ensinar.

Este ano, após 50 anos da sua morte, a cidade alentejana quer homenageá-lo, juntamente com Vila do Conde, e fá-lo-ão com exposições, ciclos de cinema, conferências e reedições entre as iniciativas de um vasto programa que durará até 2020.

Obras de 30 autores esperam por si no Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja

São mais de 30 os autores que têm os seus trabalhos expostos no Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja.

Oriundos de 10 países - Bélgica, Brasil, Colômbia, Espanha, Estados Unidos da América, França, Holanda, Inglaterra, Itália e Portugal - há autores para todos os gostos, dos populares, aos alternativos, passando pelos cómicos, introspetivos, super-heróis etc, e, entre eles, alguns que deram origem a bandas desenhadas bem conhecidas como "Michel Vaillant" e "Blake & Mortimer".

Elvas: militares põem “blindados a rolar”

Este domingo, dia 9 - das 10h às 12.30 horas e das 15 às 18 horas, com entradas livres e sem marcação durante todo o dia - em jeito de comemoração do dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, o Museu Militar de Elvas promove uma visita guiada ao Museu e cujo foco serão “Blindados a Rolar".

Espanhóis da Extremadura voltam a celebrar o 10 de junho português

Para comemorar o Dia de Camões e das Comunidades Portuguesas a região da Extremadura espanhola preparou novamente um programa de atividades ligadas à arte, ao cinema, à literatura, à música e à gastronomia portuguesas.

Começam hoje os Serões nos Claustros, em Portel

Procurar vencer implica sempre risco e a aposta que a Vila de Portel tem feito em matéria de investimento cultural comportaria sempre um risco, sobretudo quando se trata de levar artistas nacionais e internacionais para um concelho no interior do Alentejo, com pouco mais de seis mil habitantes. Mas feitas as contas o risco tem compensado.

Barrancos, canto lírico, estrelas e passeio pelos campos. Tudo isto liga

Imagine Barrancos, canto lírico, um passeio pelos campos e, à noite, um imenso céu estrelado. É a proposta do Festival Terras sem Sombra, que vai mais longe que a imaginação e está no próximo fim de semana em Barrancos, com um programa diversificado, de acesso livre, que tem início às 18h30 de sábado, dia 8 de junho com um recital da famosa contralto norte-americana Ellen Rabiner, acompanhada ao piano pelo maestro Nuno Margarido Lopes, no Cineteatro de Barrancos.

Évora recebe os dias mágicos do Festival Internacional de Artes Performativas

Na sua sexta edição, o festival Lá Fora traz a Évora um conjunto de propostas onde música, performance e animação se cruzam com os espaços emblemáticos da Fundação Eugénio de Almeida e da cidade de Évora. Um ponto de encontro já regular entre arte e os diversos públicos que percorrem e vivem a cidade. Quatro dias de intensa programação que convidam a circular, partilhar e participar, entre 13 e 16 de junho.

Cuba honra filho da terra que levou o drama do Alentejo à literatura

O Museu Literário “Casa Fialho de Almeida” abre as portas ao público, pela primeira vez, na próxima segunda-feira, 10 de junho.

Localizada bem no centro da vila de Cuba, a casa que no final do século XIX foi a residência de Fialho de Almeida vai abrir portas ao público, no próximo dia 10 de junho, como Museu Literário dedicado à vida e obra do autor.

Capoulas Santos inaugura Feira Agropecuária e do Cavalo de Santiago do Cacém

Capoulas Santos  inaugura Feira Agropecuária e do Cavalo de Santiago do Cacém, na próxima quinta-feira, 30 de maio. O certame, que se realiza até domingo, dia 2 de junho, assume-se, não só, como a montra do que é produzido no Concelho, mas também, em todo o Litoral Alentejano.

Uma exposição à lâmina

No Centro de Arte e Cultura da Fundação Eugénio de Almeida (FEA), até 29 de setembro, está patente a exposição “Maria Lino - lâmina olhar animal” e que é a mais ampla mostra realizada em Portugal do trabalho de uma das mais notáveis artistas portuguesas.

Esta exposição reúne desenhos, esculturas, objetos e material documental, muitos dos quais inéditos, e é uma oportunidade de dar a conhecer melhor esta artista e as formas como a sua obra - centrada na relação com o lugar, com a natureza - explora as coisas no mundo e o mundo nas coisas.

Páginas