26 Fevereiro 2015      00:00

Está aqui

O correr dos dias | 26 fev «A vontade move montanhas»

Aconteceu na Índia, Dashrath Manjhi, um homem comum com uma vontade incomum, conseguiu mover uma montanha metafórica e literalmente.

Ao longo de 22 anos, usando martelo, cinzel e traves de madeira, abriu um caminho através de uma montanha.

O objetivo? Diminuir a distância entre a sua aldeia e o hospital mais próximo.

Um feito incrível e exemplar que aconteceu na pequena e humilde aldeia de Gehlaur, próximo da cidade de Gaya, no norte da Índia.

De acordo com o blog «The Better India», temos que recuar a 1960 para perceber toda a história. Os habitantes de Gehlaur viviam isolados por uma grande montanha rochosa que os separava de Wazirganj, a localidade onde estavam as escolas, os hospitais e os locais de trabalho de muitos dos habitantes desta pequena comunidade.

Dashrath era uma dessas pessoas; trabalhava de um lado da montanha e vivia de outro e Phaguni, a sua esposa, levava-lhe comida e bebida todos os dias, mas um dia chegou até ele, chorosa, ligeiramente ferida e de mãos vazias. Tinha caído no caminho; algo habitual e que já tinha retirado a vida a alguns habitantes locais.

Foi nesse momento que Dashrath se propôs a acabar com este problema. Vendeu umas cabras, o seu bem mais valioso e comprou um martelo, um cinzel e várias traves de madeira, o material com que desafiou a montanha.

Continuou a sua vida normal, exceto nas horas de sono, às quais roubou horas que dedicava a “afastar” a montanha. Entretanto, a sua esposa ficou doente e morreu; o médico mais próximo encontrava-se a 75 quilómetros e só dava para ir-se a pé.  

Dashrath não desistiu; os habitantes da aldeia, compreendendo a grandeza do propósito do senhor, ofereciam-lhe comida o que permitiu a Dashrath deixar o emprego e dedicar-se em exclusivo à sua hercúlea tarefa.

Foi assim que, e desde 1982, Dashrath conseguiu abrir a montanha por completo em 2002. Um caminho de 100 metros com 10 metros de largura e que encurtou o caminho para outras povoações para somente 5 quilómetros.

Dashrath morreu em 2007, com cancro, mas deixa um legado importante; não só abriu o caminho e facilitou a vida aos habitantes da sua aldeia como demonstrou a todo o mundo que, nas palavras de Ésquilo, “Quando um homem tem força de vontade, os deuses dão uma ajuda.”

Veja aqui um vídeo sobre Dashrath: https://www.youtube.com/watch?v=z57-0Pb4IZw

 

Luís Carapinha, editor   

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.