17 Junho 2020      12:11

Está aqui

Barrancos exige o mesmo tratamento que Mourão na abertura das fronteiras

A Assembleia Municipal de Barrancos, na última reunião realizada a 5 de junho, decidiu por unanimidade tomar uma posição sobre a abertura da fronteira com Encinasola, como avança hoje o jornal A Planície.

O Presidente da Assembleia Municipal, Nelson Berjano, referiu que “com a questão da pandemia, o Governo decidiu, por motivos de saúde pública, reintroduzir temporariamente o controlo de pessoas nas fronteiras internas, no caso concreto Barrancos /Encinasola. Compreendemos esta decisão, mas comunicámos os constrangimentos que esta decisão trazia para os trabalhadores transfronteiriços e empresários de Barrancos que, para irem trabalhar, tinham de fazer quase 300 quilómetros.”

Nelson Berjano acrescentou que “foi-nos dada uma alternativa, decidiu-se abrir a fronteira duas vezes por semana”, situação que, segundo o presidente, é insustentável, pois “os trabalhadores não trabalham só duas vezes por semana, os empresários não exercem as suas atividades dois dias por semana.”

Esta deliberação da Assembleia Municipal de Barrancos foi enviada para o Presidente da República, o Primeiro Ministro, o Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, o Ministro da Administração Interna e também para o Secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional.

Nelson Berjano salientou ainda que o município exige “no mínimo, uma abertura igual à que existe perto de nós”.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.