10 Novembro 2015      12:09

Está aqui

INVESTIGADORA ALENTEJANA É "UMA ESTRELA EM ASCENSÃO"

A investigadora Rita Guerreiro, natural de Estremoz e a trabalhar na University College of London (UCL), foi reconhecida com o prémio Fondazione Gino Galletti Neuroscience Prize 2015 pelo seu trabalho sobre doenças neurodegenerativas.

Com 35 anos, Rita Guerreiro vive e trabalha no Reino Unido desde 2010, depois de realizar o doutoramento nos EUA.

O geneticista britânico John Hardy, um dos mais importantes especialistas da doença de Alzheimer e também investigador na UCL, considerou a portuguesa "uma estrela em ascensão" na investigação da neurociência. "Ela encontrou o primeiro gene de Alzheimer em 15 anos e isso é uma descoberta revolucionária no meio".

O prémio foi atribuído pelo seu trabalho sobre as mutações do gene TREM2 e a relação com o desenvolvimento da Doença de Alzheimer. 

Este trabalho já tinha sido distinguido, em janeiro, com o Prémio Europeu do Jovem Investigador, atribuído pela Associação francesa para a Investigação sobre Alzheimer a Rita Guerreiro e, também este ano, venceu o prémio da Sociedade Britânica de Investigação de Alzheimer e Demência na categoria de "realização académica".

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.