11 Agosto 2015      07:42

Está aqui

EXPLORAÇÃO DE OURO EM ÉVORA AMEAÇADA

Na semana passada noticiámos aqui que a empresa exploradora de ouro em Évora, a canadiana Colt Resources, pretendia investir mais 150 milhões de euros em Portugal, uma parte considerável deste valor seria aplicado em Borba e no Cercal.

Em entrevista ao Diário Económico, o presidente da Colt Resources, Nikolas Perrault revelou que "Identificámos três novas oportunidades de investimento mineiro, duas de ouro, em Borba e no Cercal, e uma de cobre, em Adorigo, no concelho de Tabuaço. As propostas de concessão já estão nas mãos do Governo”.

O projeto de prospeção de ouro no Alentejo – onde a exploração será a céu a aberto - já conta com um investimento na casa dos 10 milhões de euros e prevê-se que o custo total sejam de 50 a 60 milhões, no entanto, os resultados deixam a Colt Resources bastante otimista, só na Boa-Fé, as estimativas iniciais da Colt eram de oito milhões de onças de ouro.

Contudo e como avança o Diário de Notícias a queda do preço do ouro torna inviável exploração em Portugal, com perdas de 40% desde 2011. O ouro, negociado já abaixo de 1100 dólares a onça troy (31,1 gramas), um novo mínimo dos últimos cinco anos, está a obrigar os investidores a repensarem os projetos de exploração de minas anunciados para Portugal.

Que se saiba afetado para já está o consórcio entre a empresa canadiana Almada Mining e a EDM - Empresa de Desenvolvimento Mineiro, que em 2012 anunciou um investimento de 66 milhões de euros para a exploração experimental das minas de Jales, em Vila Pouca de Aguiar (Trás-os-Montes). Este projecto está completamente parado.

Imagem de capa daqui.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.