12 Junho 2015      18:07

Está aqui

"BRINCAS DE ÉVORA" NO CINEMA

Depois de o reconhecimento da EDP, que premiou as “Brincas de Évora” na 1ª Edição do Programa "Tradições Locais e Regionais 2015", de entre 122 candidatos, agora surge um documentário sobre as mesmas.

As “Brincas de Évora” são de forte expressão popular – diz-se terem origem no Teatro de Gil Vicente - e têm sido, ao longo dos anos, um forte elo de ligação e de relação comunitária; criam uma noção de pertença à comunidade e à contemporaneidade, além da disseminar as suas origens antigas.

Os seus protagonistas de hoje querem dar-lhes um novo estímulo e um forte impulso de continuidade. São protagonistas, eles, as suas histórias e processos de fazer, aliados à recolha de informação e realização de estudos sobre as “Brincas de Évora”.

Nas palavras da Prf.ª Dr.ª Isabel Bezelga, da Universidade de Évora, as carnavalescas “Brincas de Évora“ consistem num “auto-teatral, coreografado e musicado, a céu aberto (…) constituído por um grupo de homens e rapazes que vão soltando décimas numa cadência ritmada bem audível, contando desta forma uma antiga história (fundamentos). Pelo meio, um trio de faz-tudo desafia e intromete-se com a assistência, contrastando nitidamente com o aprumado figurino dos restantes performers (…). Uma marcha lenta evolui coreograficamente em torno de um estandarte, coordenados pelo Mestre, ao som do acordeão e percussão, desembocando num círculo perfeito.”

Agora, e para dar força à continuidade e reforçar a forte importância cultural desta tradição imaterial da Freguesia de Canaviais (Évora), Luís Godinho realizou o documentário “Brincas”, a estrear no próximo domingo, dia 14, pelas 18:30h, na Casa do Povo do Canaviais.

 

O “Tribuna Alentejo” falou com o Presidente da Junta de Freguesia dos Canaviais, Jonas José:

TA - Foram premiadas pela EDP, agora realizou-se um documentário sobre as “Brincas de Évora”, tradicionais dos Canaviais, há muita gente jovem interessada em manter a tradição… Como vê este destaque e ressurgimento das “brincas”?

JJ - Durante algum tempo tememos que esta tradição ancestral se perdesse, atualmente estamos muito otimistas, pois nos últimos anos temos assistido a um crescente interesse e participação de jovens; este ano inclusive foram incorporados duas crianças oriundas da escolinha de Brincas da Casa do Povo de Canaviais, no Grupo de Brincas. Penso que se está a geminar uma forte vontade de perpetuar esta tradição, no entanto, no último ano, apenas existiu o Grupo de Brincas de Canaviais no nosso Concelho.

Quanto ao prémio da EDP foi, obviamente, recebido com muita satisfação e orgulho pelo reconhecimento da importância do trabalho que os participantes levam a cabo para manter a tradição apenas pelo prazer pessoal e pelo gosto a essa tradição que a muitos lhes foi transmitido pelos pais. No entanto, também os compromete ainda mais, pois como é fácil de entender, sente-se que, para além do prazer pessoal de cada um dos participantes, também existe quem valorize essa forma popular de arte ao ponto de o considerar elegível para Património Imaterial da Humanidade.

Com o surgimento agora do documentário, bem como futuramente de um livro que irá conter os fundamentos e a história, têm como objetivo preservar e perpetuar um património que tem passado essencialmente pela oralidade ou por textos dispersos. É, em simultâneo, uma forma de reconhecimento da importância do trabalho de todos os que perpetuaram a tradição das Brincas na nossa região. 

 

TA - É de crer que no futuro esta tradição se mantenha?

JJ -Sim, penso que está lançado o alicerce para a manutenção e muito provavelmente o seu enraizamento que garantirá o futuro, e possivelmente surgirem mais grupos como no passado.

 

TA - A participação nas “Brincas” é só por parte de pessoas dos Canaviais?

JJ - Na sua quase totalidade sim, participam alguns elementos que não residem na Freguesia, mas pela relação de amizade que têm com este grupo, e pela sua total identificação com as nossas tradições, é como se fossem de cá.

 

TA - Que apoios é que têm sido prestados pela Junta de Freguesia?

JJ - Temos dado dentro das nossas possibilidades, apoio na aquisição de alguns materiais, acompanhamos o trabalho do Grupo por forma a se sentirem acarinhados e fomos os principais impulsionadores da candidatura ao concurso da EDP, pois achamos que, para além do valor financeiro que a candidatura poderia dar, seria ainda mais importante ver esta arte reconhecida pela sua relevância sociológica nesta localidade.

 

TA - O presidente também “Brinca”?

JJ - Não tenho muito jeito para as artes, infelizmente, a minha participação resume-se a fazer parte do público e a participar nas partidas que os palhaços me fazem no decurso da apresentação e que, tradicionalmente, termina na Praça José Joaquim Calado Piteira, aqui nos Canaviais, na terça-feira de Carnaval.   

 

Neste documentário, do qual deixamos uma amostra, poderá assistir a depoimentos de especialistas e habitantes que querem manter bem viva esta tradição carnavalescas.

 

Imagem daqui

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.