16 Agosto 2015      01:06

Está aqui

ABATE DE ÁRVORES NA AMAZÓNIA CAI 82% EM 10 ANOS

São boas notícias as que chegam do Brasil, o abate de árvores na floresta amazónica diminuiu 15% no ano passado e 82% desde 2004.

São dados do Projeto de Monitorização da Floresta Amazónica por Satélites (Prodes) e do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais divulgados em Brasília no dia 14 deste mês, e que revelam que entre agosto de 2013 e julho de 2014, o abate de árvores na floresta amazónica diminuiu 15%, quando comparado com os anos anteriores.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, revelou mesmo que entre 2004 e 2014, a taxa anual de deflorestação da Amazónia Legal passou de 27.772 km² para somente 5.015 km², uma redução de 82%. “É uma demonstração, uma ostentação de êxito da política ambiental do país que deve ser, mais que registrada, celebrada.” - revelou aos órgãos de comunicação social brasileiros.

Para se chegar a estas conclusões, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais brasileiro mapeou 214 imagens do satélite Landsat 8 e, na mesma apresentação destes dados, Izabella Teixeira, Ministra do Meio Ambiente, explicou que a monitorização do projeto Prodes ainda anão permite a diferenciação do que é abate de árvores e deflorestação ilegal do legal e autorizado em propriedades rurais, por não ser ainda possível a sobreposição das áreas desflorestadas com as áreas que têm autorização dos estados para o corte de vegetação nativa.

As notícias são, de tal modo, boas que até a presidente Dilma Roussef – a viver dias conturbados em que tem sido fortemente contestada – se pronunciou, nas redes sociais, sobre este feito: “Para um país continental como o Brasil, uma meta de redução é muito importante, e chegaremos à desflorestação ilegal zero na Amazónia Legal. Este é mais um passo no nosso compromisso de preservação do meio ambiente e de reflorestamento de áreas degradadas” - escreveu a presidente.

 

Imagem daqui

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.