Está aqui

Artigos publicados

CUMPRIMOS O DÉFICE. E PORTUGAL?

Só quem coloca a ideologia à frente do País é que não ficaria satisfeito com os resultados do défice de 2016 apresentados pelo Governo.

É curioso assistir aos que hoje fazem tanta questão em afirmar que os 2,1% de défice se deve exclusivamente a António Costa, foram os mesmos que ainda hoje contestam a governação de Pedro Passos Coelho, que recebeu um défice de 11,2% de Sócrates e entregou o País ao actual governo com um défice de 3% (sem contar com o BANIF).

O ASSALTO AO BANCO DE PORTUGAL

Tem vindo a tornar-se hábito assistirmos ao Partido Socialista quando está no Poder tentar impor a sua vontade em Instituições Públicas com autonomia de decisão ou em Entidades independentes.                                               Viu-se na altura de José Sócrates na sua ligação ao grupo Espanhol da Media Capital (entre outros) e vê-se agora nas nomeações e nas tentativas de se rever o modelo de uma Entidade que pela sua independência e trabalho técnico que é o Conselho das Finanças Públicas, não tem que partilhar das previsões e das vontades do Governo.               

OS PERIGOS DO POPULISMO

Não é por acaso que o discurso do Sr. Presidente da República Portuguesa no 43º aniversário do 25 de Abril, tivesse sido virado para o combate ao populismo.

THE DAY AFTER BREXIT

Ontem foi entregue pelo Reino Unido a carta que formaliza a invocação do artigo 50º do Tratado de Lisboa e assim oficializar o pedido de saída da União Europeia. As negociações começarão agora e poderão durar um prazo previsto de 2 anos (prazo este que é expectável terminar antes das eleições Europeias de 2019).

O ALENTEJO NA BOLSA DE TURISMO DE LISBOA

Ontem fui dia de visitar a maior feira de Turismo em Portugal. Até o próximo Domingo a BTL espera receber à volta de 75 mil pessoas. Estarão presentes durante todo o evento cerca de 1500 profissionais estrangeiros, entre operadores, hotéis e promotores de outros destinos internacionais. Uma feira de grande relevo para os Concelhos Portugueses poderem promover as suas potencialidades e aumentar a procura internacional com efeitos positivos na balança comercial.

AS OBRAS DO COSTUME ESTÃO DE VOLTA

As eleições autárquicas estão cada vez mais próximas e as listas candidatas e os respectivos candidatos vão começando a aparecer. É tempo das equipas pertencentes a Executivos Municipais que se queiram voltar a recandidatar, de olear a estratégia e meter mãos às obras.

Como? É fácil, basta verificar nos nossos Concelhos desde os mais pequenos arranjos, à requalificação de bens municipais, até à nova prioridade em tapar o buraco da estrada da nossa terra que já poderia estar tapado há mais de 10 anos.

PATRÃO MAU, EMPRESÁRIO BOM

Os trabalhadores julgam que o patrão trabalha menos horas que eles. O empresário muitas vezes passa mais de metade do dia no seu local de trabalho ou a trabalhar em prol do mesmo. O trabalhador recebe no mínimo em Portugal 557€. O empresário com salário + subsidio de alimentação + pagamentos à segurança social + seguro de trabalho paga no mínimo à volta de 850€/mês por trabalhador. O trabalhador recebe, justamente, o salário todos os meses. O empresário num mês mau com um cash flow reduzido não pode falhar com as suas obrigações salariais e de despesas correntes.

O TURISMO DO ALENTEJO EM VILA VIÇOSA

Segundo dados do INE e citados pelo presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo (ERT-AR), António Ceia da Silva, o Turismo no Alentejo cresceu 12 a 13% em 2016 comparativamente a 2015, tendo em conta o aumento de dormidas. Notícias muito boas que vale a pena enaltecer. A ERT está de parabéns por toda a sua dinâmica que se traduziu em muito bons resultados para a região.

2017: UM ANO DE EXPECTATIVAS E DE INCERTEZAS

O ano de 2016 deixou no ar uma enorme incerteza sobre o que será o futuro do planeta. Em Portugal, o ano trouxe-nos a celebração do 1ª campeonato da Europa de Futebol e uma gerigonça que lá vai passando entre os pingos da chuva. O actual Governo aprovou o Orçamento para 2017, tomando opções diárias e semanais para que a extrema esquerda não lhes tirasse o tapete e assim o governo PS continua a manter na gaveta as grandes opções estratégicas para o médio/longo prazo do País.                                                                        

ONDE PÁRA A CORRUPÇÃO?

Segundo um Barómetro Global da Corrupção publicado em Novembro pela Transparency International, mais de 80% dos Portugueses consideram que o Estado sofre influências indevidas de pessoas com grande poder económico. 48% dos Portugueses consideram que a corrupção piorou no último ano e 39% não vê melhorias nos níveis de corrupção do País.
 

Páginas