Está aqui

Portugal

ÉVORA VAI EXPOR HERANÇAS CHINESAS ÚNICAS

Fruto de uma parceria do Observatório da China - Associação para a Investigação Multidisciplinar em Estudos Chineses, com o Museu de Guangzhou, na China, da Direção Regional de Cultura do Alentejo e da Câmara de Évora irá trazer par ao Alentejo a exposição "Cantão e a Rota Marítima da Seda" e que mostrará peças originais chinesas.

NEM O COMBOIO VEREMOS PASSAR...

Li com preocupação o Manifesto “PORTUGAL- UMA ILHA FERROVIÁRIA NA UNIÃO EUROPEIA” (pode consultar aqui) elaborado e subscrito por Empresários, Engenheiros, Economistas, Investigadores e Professores Universitários sobre o panorama actual e futuro das linhas ferroviárias do nosso País.

RECUPERAÇÃO DA MEMÓRIA HISTÓRICA DA EXTREMADURA

Falar da história da Extremadura espanhola é falar da raia, de Portugal e de como durante a Guerra Civil espanhola as populações raianas praticaram a Humanidade mais que a nacionalidade, minimizando os efeitos da guerra e das ditaduras que assolavam os dois países.

UMA ALENTEJANA PARA A HISTÓRIA DO FUTEBOL NACIONAL

Pela primeira vez Portugal está representado numa fase final do Campeonato da Europa de Futebol Feminino, a decorrer na Holanda.

A estreia, frente à Espanha, não terminou com a desejada vitória, mas no segundo encontro – frente à Escócia – Portugal venceu por 2-1 e o primeiro golo de Portugal, no feminino, numa competição internacional, tem marca alentejana.

PORTUGAL PRECISA INVERTER OS INDICADORES DEMOGRÁFICOS

Portugal É o segundo país da UE onde menos se nasce.

Não querendo entrar no campo demasiado técnico, até porque a minha formação académica sobre essa matéria é apenas superficial e os leitores não esperam isso de mim, quero, sim, alertar para uma situação, agora que se comemorou (no passado dia 11 deste mês) o Dia Mundial da População, que nos deve deixar a todos apreensivos e cientes que teremos, com alguma urgência, colocar o assunto na agenda política do País: a pobre demografia de natalidade.

LONGA VIDA À SUA OBRA

Comecei a acompanhar Henrique Medina Carreira em 2009, no ano em que entrei para a Faculdade. Confesso que para um jovem com 18 anos que tinha acabado de se filiar num Partido Político me fazia um pouco de confusão, ouvir Medina Carreira carregar forte e feio nos Partidos Políticos. Mas era a sua audácia, o seu rigor técnico e a sua frontalidade que me intrigavam em ver  com frequência os seus programas com Mário Crespo.

INTENÇÕES QUE ARDEM, VIDAS QUE SE VÃO

É certo que não sou especialista em questões ambientais, nem tão pouco sou um visionário no que toca a assuntos da esfera florestal, ecológica e do ordenamento do território. O que vos quero trazer aqui é apenas uma memória de infância, que me faz refletir várias vezes aquando das catástrofes incendiárias. A tragédia de Pedrógão Grande refrescou-me novamente a memória…infelizmente não pelas melhores razões.

ALENTEJO É CENÁRIO DE GUERRA

Voltou ao Alentejo o cenário de guerra que envolve o Orion’17, o maior exercício militar realizado, anualmente, em Portugal.

Pela mão das Forças Armadas portuguesas, serão cerca de 1600 militares portugueses e 350 de Espanha e Estados Unidos os envolvidos nos exercícios que decorrem no Baixo Alentejo.

Se ouvir tiros ou quando olhar ao céu e vir 400 paraquedistas a descer não se assuste, pois a invasão não é real.

O objetivo dos exercícios é só um: certificar a Brigada de Reação Rápida para operar em ambiente multinacional, da Aliança Atlântica.

PARA QUE NÃO VOLTE A ACONTECER

A Comissão Europeia confirmou esta semana a saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo. Em termos práticos, é muito importante sublinhar que o País e os portugueses estão verdadeiramente de parabéns. Foi um esforço muito grande que os portugueses fizeram para se livrar deste espartilho. Dum espartilho onde nunca deveríamos ter entrado.

Portugal esteve os últimos 8 anos sujeito ao Procedimento por Défice Excessivo. Desde 2009 (da então famigerada governação de José Sócrates) que nos encontramos perante as amarras desta complexa exigência.

CUMPRIMOS O DÉFICE. E PORTUGAL?

Só quem coloca a ideologia à frente do País é que não ficaria satisfeito com os resultados do défice de 2016 apresentados pelo Governo.

É curioso assistir aos que hoje fazem tanta questão em afirmar que os 2,1% de défice se deve exclusivamente a António Costa, foram os mesmos que ainda hoje contestam a governação de Pedro Passos Coelho, que recebeu um défice de 11,2% de Sócrates e entregou o País ao actual governo com um défice de 3% (sem contar com o BANIF).

Páginas