Está aqui

Portugal

PORTUGAL PRECISA INVERTER OS INDICADORES DEMOGRÁFICOS

Portugal É o segundo país da UE onde menos se nasce.

Não querendo entrar no campo demasiado técnico, até porque a minha formação académica sobre essa matéria é apenas superficial e os leitores não esperam isso de mim, quero, sim, alertar para uma situação, agora que se comemorou (no passado dia 11 deste mês) o Dia Mundial da População, que nos deve deixar a todos apreensivos e cientes que teremos, com alguma urgência, colocar o assunto na agenda política do País: a pobre demografia de natalidade.

LONGA VIDA À SUA OBRA

Comecei a acompanhar Henrique Medina Carreira em 2009, no ano em que entrei para a Faculdade. Confesso que para um jovem com 18 anos que tinha acabado de se filiar num Partido Político me fazia um pouco de confusão, ouvir Medina Carreira carregar forte e feio nos Partidos Políticos. Mas era a sua audácia, o seu rigor técnico e a sua frontalidade que me intrigavam em ver  com frequência os seus programas com Mário Crespo.

INTENÇÕES QUE ARDEM, VIDAS QUE SE VÃO

É certo que não sou especialista em questões ambientais, nem tão pouco sou um visionário no que toca a assuntos da esfera florestal, ecológica e do ordenamento do território. O que vos quero trazer aqui é apenas uma memória de infância, que me faz refletir várias vezes aquando das catástrofes incendiárias. A tragédia de Pedrógão Grande refrescou-me novamente a memória…infelizmente não pelas melhores razões.

ALENTEJO É CENÁRIO DE GUERRA

Voltou ao Alentejo o cenário de guerra que envolve o Orion’17, o maior exercício militar realizado, anualmente, em Portugal.

Pela mão das Forças Armadas portuguesas, serão cerca de 1600 militares portugueses e 350 de Espanha e Estados Unidos os envolvidos nos exercícios que decorrem no Baixo Alentejo.

Se ouvir tiros ou quando olhar ao céu e vir 400 paraquedistas a descer não se assuste, pois a invasão não é real.

O objetivo dos exercícios é só um: certificar a Brigada de Reação Rápida para operar em ambiente multinacional, da Aliança Atlântica.

PARA QUE NÃO VOLTE A ACONTECER

A Comissão Europeia confirmou esta semana a saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo. Em termos práticos, é muito importante sublinhar que o País e os portugueses estão verdadeiramente de parabéns. Foi um esforço muito grande que os portugueses fizeram para se livrar deste espartilho. Dum espartilho onde nunca deveríamos ter entrado.

Portugal esteve os últimos 8 anos sujeito ao Procedimento por Défice Excessivo. Desde 2009 (da então famigerada governação de José Sócrates) que nos encontramos perante as amarras desta complexa exigência.

CUMPRIMOS O DÉFICE. E PORTUGAL?

Só quem coloca a ideologia à frente do País é que não ficaria satisfeito com os resultados do défice de 2016 apresentados pelo Governo.

É curioso assistir aos que hoje fazem tanta questão em afirmar que os 2,1% de défice se deve exclusivamente a António Costa, foram os mesmos que ainda hoje contestam a governação de Pedro Passos Coelho, que recebeu um défice de 11,2% de Sócrates e entregou o País ao actual governo com um défice de 3% (sem contar com o BANIF).

CONVENÇÃO DE ÉVORAMONTE FOI HÁ 183 ANOS

Em maio 1834, foi assinada em Évoramonte a convenção, que pôs termo à luta entre os exércitos de D. Pedro e D. Miguel, liberais e absolutistas, e que consistiu na deposição das armas dos “miguelistas” perante a Grã-Bretanha, a Espanha e a França.

CHINESES EM PORTALEGRE COM INTERESSE NA AGRICULTURA E EDUCAÇÃO

Uma delegação chinesa do Departamento Provincial de Educação de Jiangsu, composta por composta por altos dirigentes como responsáveis pelo ensino superior, esteve de visita ao Instituto Politécnico de Portalegre (IPP) e demonstrou grande interessa na área agrícola.

Será expectável uma colaboração entre a entidade alentejana e o Departamento de Educação Chinês no desenvolvimento de iniciativas conjuntas como a troca de experiências, intercâmbios, projetos de investigação e formações nas duas línguas, tendo sido assinados protocolos neste sentido.

BRUXELAS CHUMBA GUARDIÕES DA RAIA

Bruxelas chumbou um projeto que pretendia a recuperação de património em Elvas, Campo Maior e Badajoz

Batizado de "Guardiões da Raia", este projeto previa 17 recuperações/reconstituições de fortificações, nas três cidades, num total de 6,5 milhões de euros.

 

 

Imagem de wikimedia.org

MILHARES DE ALENTEJANOS PODEM SER AFETADOS POR ACIDENTE NUCLEAR

Cerca de 800 mil portugueses, em grande parte norte-alentejanos, podem ser afetados por um possível a acidente nuclear que ocorra na central espanhola de Almaraz, revelou a associação ambientalista Quercus.

Caso aconteça um acidente na Central espanhola onde têm existido alguns problemas de segurança, num espaço de 12 horas após uma explosão a nuvem radioativa entraria em território português, como revela uma simulação do exército português, de 2010, feita pelo Elemento de Defesa Biológico, Químico e Radiológico do Comando das Forças Terrestres e divulgada pela Rádio Renascença.

Páginas