Está aqui

Empresas

PERSEVERANÇA E CRIATIVIDADE

Estavamos no final do verão de 2015 quando entrevistámos pela primeira vez as promotoras de uma ideia que revolucionou a abordagem ao capote alentejano tradicional. Mulheres, dinâmicas e criativas que reinventaram o conceito tradicional de capote alentejano como peça de vestuário feminino e que se tem afirmado em grande parte devido ao seu design atrativo.

O ALENTEJO ESTÁ A CONSTRUIR A SUA REDE DE ESTAÇÕES METEOROLÓGICAS

São uma equipa de apenas 4 pessoas, voluntários empenhados em dar ao Alentejo dados meteorológicos fiáveis e autónomos do IPMA, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, colmatando o que chamam de "falha" no interior do País e que é a "ausência de estações do IPMA". E já ganharam um prémio pelo seu trabalho.

FILIPE GINGÃO, O JOVEM EBORENSE QUE PROMETE

Filipe Gingão, Eborense, tem 21 anos, é estudante na área dos audiovisuais e diz que foi por acaso que descobriu o talento para fotografia. Prefere fotografar as estrelas, mas dedica-se mais a eventos, que significaram o início da sua carreira. Fomos conversar com ele só para ficarmos a saber um pouco mais de como é trabalhar naquilo que se gosta. E concluímos que é um jovem artista a acompanhar. Porque promete.
 

BIXUS MADE IN ALENTEJO

Chama-se Susana Cunha, é natural do Porto, viveu vários anos em Coimbra e vive em Évora há 23. Em 2006 criou a Bixus. E não só, com o objetivo de angariar fundos para esterilizar os animais da Associação Cantinho dos Animais de Évora, que preside desde 2013. Porta-chaves, individuais, bases para copos, carteiras... são apenas alguns dos produtos coloridos que, inspirada na temática animal, Susana cria.

LIGAÇÃO ENTRE SINES E O PANAMÁ REFORÇADA

A empresa MSC - Mediterranean Shipping Company vai estrear em julho um novo serviço a partir de Sines, para tirar partido do recente alargamento no próximo dia 26 de. A MSC que pretende reforçar o segmento da exportação no porto de Sines, juntando-se a mais de duas dezenas de serviços diretos à exportação já disponibilizados por este armador no porto alentejano.

YEBORATH É MADE IN ALENTEJO

Chama-se José Martins, tem 30 anos, é Técnico de Secretariado e encontrava-se desempregado quando decidiu agarrar a oportunidade de dar um novo rumo à Yeborath, um espaço localizado em Évora, que se dedica ao Design, Publicidade e Brindes Personalizáveis. Fique a conhecer este projeto e a sua potencialidade em https://www.facebook.com/Yeborath

A COLZA ESTÁ A RENTABILIZAR A AGRICULTURA ALENTEJANA

A nova grande aposta dos agricultores alentejanos é a colza, uma cultura oleaginosa, que serve para a produção de biodiesel. Os agricultores estão a apostar nesta planta para fazer a rotação de culturas, por ter baixos custos de produção e uma boa rentabilidade.

Esta plantação, que tem dado cor aos campos alentejanos, requer pouca água e tem um preço relativamente estabilizado, fechado em bolsa, permitindo aos agricultores assegurar o escoamento da matéria produzida. Com a área de produção a aumentar de ano para ano, estima-se que nos próximos anos possa rondar os 6 mil hectares. Algo que dependerá também do estudo acerca dos tipos de cultura que melhor se adaptam à região. No ano passado a produção rendeu em torno de 3 mil quilos por hectare.

MACAU INVESTE 150 MILHÕES EM SETÚBAL

O casino de Tróia despertou o interesse do empresário David Chow, conduzindo a um investimento sem precedentes em Setúbal, onde serão construídos um hotel, um bloco com 60 apartamentos, uma marina e novas instalações para o Clube Naval Setubalense. O projeto da Macau Legend Development, que pode chegar aos 250 milhões, arranca em 2017 e prevê novas ligações fluviais entre as margens do Sado.

SINES NAVEGA POR NOVOS MARES

O Sines Tecnopolo, BIC Alentejo, organiza o “Por Novos Mares – Jornadas da Economia do Mar”, um evento terá várias vertentes, entre os dias 8 e 10 de julho, com destaque para uma conferência, uma Feira do Mar e um concurso de embarcações sustentáveis: o Aporvela Project Race.

ÉVORA: EMBRAER JÁ TRABALHA EM AVIÃO MILITAR

O KC 390 é o maior projeto aeronáutico alguma vez criado em Portugal. Um avião de carga da fabricante brasileira Embraer, encomendado pela Força Aérea Brasileira, e mais de metade da sua aeroestrutura tem como base tecnologia portuguesa. São mais de 450 mil horas de engenharia, entre conceção, design e cálculos de 1.600 peças da aeronave. Cerca de 56% do avião foi da responsabilidade de engenheiros portugueses do Centro de Excelência e Inovação da Indústria Automóvel (CEIIA), onde estiveram também envolvidas a unidade da Embraer, inserida na OGMA, em Alverca, e a fábrica de componentes de Évora.

Páginas