13 Setembro 2017      11:29

Está aqui

ZORRINHO REJEITA SANÇÕES QUE "PENALIZEM O POVO VENEZUELANO"

O eurodeputado eborense Carlos Zorrinho rejeitou ontem à noite no hemiciclo de Estrasburgo "sanções que tornem ainda mais difícil" a vida do povo venezuelano, que "tem sido profundamente martirizado" com a situação política, económica e social na Venezuela.

Com a situação na Venezuela a agravar-se, “a União Europeia não pode ser uma espécie de observador privilegiado”, sustentou Carlos Zorrinho, ao intervir precisamente no ponto da ordem de trabalhos sobre a situação naquele país latino-americano.

Por outro lado, também defendeu que “medidas que dificultem a vida a quem ofende reiteradamente os princípios da legalidade democrática são urgentes e tornam-se cada vez mais inadiáveis.”

Sobre o “apelo à negociação e ao compromisso entre as partes”, Carlos Zorrinho considerou que “sendo meritório, beneficia quem está numa posição de incumprimento”, razão pela qual entende que “sem compromisso à vista, temos que trabalhar com determinação nas garantias e nas consequências para quem as quebrar ostensivamente.” 

A venezuela lida com uma grave crise provocada pela escassez de alimentos e outros bens essenciais e por uma galopante inflação. A situação é tão grave que levou o papa Francisco a apelar às Nações Unidas esta segunda-feira para ajudarem a Venezuela a sair da crise económica, política e social.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.